Menu Fechar

Em que Pensas

Grande parte da nossa capacidade de conquistar o sucesso está relacionada com a  maneira de como encaramos nossa vida. Quando mantemos pensamentos positivos, deixamos a vida mais íntegra. Manter-se motivado é um impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir os seus objetivos e que envolve fenómenos emocionais, biológicos e sociais e é um processo responsável por iniciar, direcionar e manter comportamentos relacionados com o cumprimento das metas. Vamos entender qual a importância do pensamento positivo e em quanto pode afetar a nossa vida.

As conquistas pessoais e profissionais dependem da forma como o indivíduo lida com sua realidade. Obstáculos e desafios aparecem para todos, mas as pessoas têm mais hipóteses de sucesso quando veem mais oportunidades do que ameaças nas situações da vida.

Para conseguir conquistar metas e objetivos traçados durante a nossa vida é necessário principalmente foco, determinação e comprometimento. Porém desta forma poderá atingir os seus sonhos e elevar o desempenho tanto na vida pessoal como profissional.

Até a ciência já reconheceu que as pessoas que são positivas têm mais saúde tanto física quanto emocional, pois o pensamento positivo aumenta a imunidade, rejuvenesce e eleva a autoestima, tanto que as pessoas positivas tem uma pele melhor, esteticamente falando, um sorriso frouxo, uma luz e uma alegria de viver que contagia qualquer pessoa que esteja do seu lado.

Todas as pessoas enfrentam uma série de dificuldades diárias — sejam nas demandas profissionais, problemas com os filhos, crises financeiras ou por estar a passar uma fase difícil no casamento. Manter o pensamento positivo para enfrentar essas adversidades não é uma tarefa fácil, mas é importante saber controlar a ansiedade para não sofrer por antecipação.

O medo de que alguma coisa possa dar errada e sair do controle é uma reação biológica natural e instintiva dos seres humanos e, até certo ponto, é importante para que os indivíduos se preparem e planejem antecipadamente suas ações. Porém, quando excessiva, a preocupação com o futuro pode esconder uma grande dificuldade para lidar com erros e imprevistos. Isso ocorre pelo medo de ser julgado e de sofrer com críticas, situações que podem trazer a sensação de desprezo, abandono e incapacidade.

Para assumir as rédeas da própria vida e tomar decisões assertivas mesmo quando as coisas não vão bem, é necessário parar por um instante e entrar em contato com a sua essência e história de vida. Os pensamentos negativos geram medo, uma reação que pode paralisar uma pessoa ou fazer com que ela mude de rota. A ação que será tomada depende justamente da maneira como essa emoção será canalizada pelo indivíduo.

Aí é que entra a inteligência emocional, uma habilidade cada vez mais valorizada no mundo moderno, justamente por permitir que você continue focado e motivado mesmo quando as coisas não estão indo para o caminho desejado. E apesar de ser uma habilidade fortemente testada diante de um problema, esse tipo de inteligência precisa ser desenvolvida em longo prazo.

Algumas características marcantes de pessoas que possuem essa qualidade são: curiosidade para conhecer novas pessoas e outras visões de mundo; ótimo senso de liderança; conhecer suas forças e fraquezas; saber prestar atenção e também saber o motivo dos seus próprios descontentamentos, entre muitas outras.

Aprenda manter o controle, a impulsividade é uma tendência a agir, a ter um determinado comportamento, sem que se tenha pensado antes dessa ação. Ou seja, é quando você faz as coisas sem pensar nas consequências. E depois? Na maioria das vezes, você se arrepende de ter agido. Por isso, quando perceber que está sendo dominado por uma emoção negativa (raiva, medo, preocupação e tristeza), tente respirar com calma, ponderar sobre os aspectos mais práticos da questão e voltar a seu estado de equilíbrio antes de tomar qualquer decisão.

Um dos inibidores de sucesso mais comuns é a nossa predileção a não assumir a responsabilidade por nossas ações e esperar que alguém aja, tome uma iniciativa, assuma a culpa ou se encarregue no nosso lugar. Assumir a responsabilidade por nossas ações, ou pela nossa falta de atitude, é essencial para que os resultados desejados sejam atingidos. A responsabilidade é sua, e ela começa com o desenvolvimento do pensamento de que você é responsável pela qualidade e tempo de entrega do resultado, mesmo quando você está trabalhando com outras pessoas ou quando acontece alguma coisa fora do que tinha planejado. Ainda quando você não tem a responsabilidade total sobre uma tarefa ou projeto, você tem a obrigação de agir e entregar resultados.

Reconhecer a diferença entre culpa e responsabilidade, sempre que algo sai errado ou diferente do que planejamos, tem o hábito de procurar quem foi o culpado pela situação indesejada. Mas esse hábito nos faz olhar para trás e gastar tempo com algo que não nos levará a alcançar o resultado que estamos esperando. Na verdade, não importa quem foi o culpado, procurar colocar a culpa em alguém nos obriga a tomar medidas corretivas e inibe o aprendizado. Devemos assumir a responsabilidade, olhar para frente e nos liberar para atingir nossos objetivos.

Outro ponto importante para assumir a atitude de protagonista é estruturar situações que podem ocorrer e estão sobre nosso controle, e as que não podemos dominar, assim podemos nos planejar para minimizar os efeitos das situações que fogem do planejamento. Por exemplo, você está concorrendo a uma vaga em uma faculdade e tem que realizar um teste para definir se está apto a preencher essa vaga. Você sabe qual o conteúdo que será cobrado, mas não tem controle sobre as questões que vão estar no teste. O que você pode controlar é seu próprio tempo e sua dedicação para estudar de forma objetiva e minimizar a possibilidade de não estar preparado para responder da melhor forma às questões do teste.

Em um mundo onde problemas estão ficando mais complexos, solucionadores de problemas determinados e proativos se destacarão frente àqueles que vivem esperando ajuda ou que vivem culpando pessoas ou situações pelo resultado não obtido. Viver com responsabilidade nos torna indivíduos mais fortes e mais direcionados a agir, sendo primordial para o seu sucesso e só depende de si.

Seja flexível, não seja partidário do tudo ou nada, inflexível, intolerante e perfeccionista. O perfeccionismo é uma barreira à felicidade. Quando adotamos o tudo ou nada – criamos uma condição impossível de satisfazer. Aceite o resultado quando ele é razoável. A atitude do tudo ou nada nos impede de aceitar as pessoas, pois ninguém é perfeito tal qual estabelecemos. Aceite que existe o meio termo.

Aprenda a se perdoar, ficar se punindo por conta das falhas do passado só alimenta o padrão da culpa, aumentando as chances de que você cometa os mesmos erros. Entender o que se passa com nossos sentimentos é o segredo para encontrar o bem-estar interior. Muitas vezes, temos a sensação de que não somos competentes o suficiente para algo, ou ainda, para alguém. E mais do que isso, situações rotineiras acabam nos levando a beira do abismo. Entender que sentir-se inferior é um complexo pode te ajudar a reverter à situação e ser mais feliz. É normal nos sentirmos assim vez ou outra, mas quando a situação leva a loucuras e gera situações que poderiam ser evitadas se não fosse um desatino, é hora de procurar ajuda.

A denominação “complexo de inferioridade” foi criada por Alfred Adler (1870-1937), médico psiquiatra, para designar sentimentos de insuficiência e até incapacidade de resolver os problemas, o que faz com que a pessoa se sinta um fracasso em todos, ou em alguns aspectos de sua vida. É o que hoje chamamos de baixa autoestima, que é quando não se tem consciência de seu valor pessoal. A baixa autoestima pode comprometer todos os relacionamentos, seja pessoal, profissional, afetivo, familiar, social.

Evite comparações, a principal característica do complexo de inferioridade é ficar se comparando com outros, ou comparar o seu relacionamento com os de outros. A verdade é que essa comparação nunca é positiva e não vai te fazer se sentir melhor, pois as pessoas são diferentes, possuem necessidades, desejos e históricos de vidas diferentes.

Compreenda seu histórico de vida e a origem de seu sentimento de inferioridade. Por qual motivo se sente inferior? Não desista, compreenda suas dificuldades e procure enfrentar cada uma delas.

Enfrente o medo, é importante lidar e enfrentar o medo que as pessoas ou situações provocam e compreender que a percepção de si mesmo está baseada na consequência de fatos que já passaram. Você não pode mudar seu passado, mas pode mudar seu presente para alcançar o futuro que aspira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *