Menu Fechar

Será que preciso de lanchar?

Na busca de saúde e bem-estar, as pessoas precisam atentar-se e manter uma alimentação equilibrada, principalmente com o objetivo de prevenir o desenvolvimento de males. Para alcançar esse objetivo, o primeiro passo é mudar o cardápio do dia a dia. Embora isso pareça complicado por exigir que tu disponhas de tempo para fazer compras, ir para a cozinha preparar as refeições, disponibilizar recursos, existem várias opções que te ajudam a resolver essa questão. Entre elas,a conveniência do uso de alimentos saudáveis.

É na infância que se lançam os alicerces para uma saúde forte e uma alimentação equilibrada. E os lanches são parte dessa construção. Uma alimentação equilibrada é fundamental à medida que as crianças crescem e em todas as fases desse crescimento. E, nesse equilíbrio, há um lugar reservado para os lanches, que devem fornecer entre 10 a 15% das calorias diárias.

Estes pequenos intervalos alimentares funcionam como combustível: ajudam a manter a concentração e fornecem uma dose extra de energia, valiosas sobretudo em idade escolar. Mas, para que estas vantagens se concretizem, os lanches devem ser saudáveis.

O tipo de lanche que se fornece depende de vários fatores, entre eles a idade. Não só porque idades diferentes têm necessidades nutricionais diferentes, mas porque apresentam comportamentos distintos face à comida.

Quem nunca ouviu falar que é preciso comer de três em três horas, não saltar o pequeno almoço e não jantar muito tarde?

Será que sabes o porquê da importância disso tudo?

Comer de três em três horas ou fazer, pelo menos, quatro refeições no dia, são hábitos que ajudam a controlar o perfil lipídico (níveis do colesterol total e triglicérides). Pesquisas indicam que as taxas dessas substâncias são menores em pessoas que se alimentam com mais frequência. O fracionamento das refeições também ajuda a controlar a fome, evita comer demais nas refeições seguintes, melhora o comportamento cognitivo e o humor.

O ideal é que te empenhes em ter uma alimentação balanceada, que consiste em equilibrar as refeições, para que não caias nos excessos. A melhor forma de promover esse equilíbrio é colocar em prática duas palavras na nossa alimentação: quantidade e qualidade, ou seja, podes comer de tudo um pouco, mas com moderação.

Atualmente, está cada vez mais difícil comer em casa devido a correria do dia a dia. Muitas pessoas colocam a saúde de lado e não praticam exercícios físicos e nem se alimentam corretamente. No pequeno almoço opta por alimentos mais nutritivos como pães integrais, sumos naturais, frutas, cereais e iogurtes naturais ou substitutos de fefeição.

Os lanches durante o dia são um problema para quem trabalha fora porque há apenas opções como lanches gordurosos ou então passar horas sem comer.

Há algumas soluções, tem sempre no trabalho barrinhas de proteína, frutas, sumos da fruta, biscoito de sal e outros lanches leves e nutritivos. Para ti que almoças fora de casa, opta pelos restaurantes self service onde é possível escolher os pratos que serão consumidos. Comeca o almoço com uma sopa e bom prato de salada (alimentos que são oferecidos de forma variada nesses restaurantes), escolhe uma opção de hidratos de carbono, uma de proteína e vegetais.

E se sais do trabalho diretamente para a faculdade ou para um curso procura jantar antes de ir. Em muitos casos isso não é uma opção viável, dessa forma, faz um lanche saudável evitando molhos industrializados, refrigerantes, salgados fritos e doces. Os horários para te alimentares fora de casa nem sempre são os melhores, mas reserva esse tempo para apreciar a comida e st sentires devidamente saciado.

Costuma-se associar a hora do lanche com comidas doces como pastelaria industrial, chocolates, biscoitos, etc. No meio de um dia agitado, é muito tentador recorrer a produtos de fácil cesso como alimentos industriais enlatados. Porém, o consumo destes alimentos ricos em açúcares e gorduras supõe o consumo desnecessário de uma alta quantidade de calorias que, além de causarem um ganho de peso, coloquem em risco a saúde.

O lanche deve ser uma comida leve, fácil de preparar e que ofereça a energia que o cérebro e os músculos precisam para continuar a jornada; mas não é menos delicioso por isso, em função da criatividade de cada pessoa. O lanche pode ser doce ou salgado. O importante é que seja composto por alimentos saudáveis e naturais, desde uma simples maçã que pode ser levada facilmente a qualquer parte, até um delicioso sanduíche de peru feito em casa.

Este consumo de alimentos antes do jantar deve se adaptar ao estilo de vida de cada um, assim como a seus objetivos nutricionais. É indispensável também desfrutá-lo para que seja um momento agradável e reconfortante no meio da tarde. As sanduíches costumam se associar com comida rápida ou comida pouco saudável. Porém, é possível transformá-los em deliciosas, nutritivas e muito saudáveis opções para o lanche. A condição para isso é prepará-los em casa e escolher os ingredientes adequados.

Por exemplo, duas pequenas fatias de pão integral, queijo fresco, presunto de peru e rúcula, constituem um lanche leve ideal para o meio da tarde. O ovo é um alimento que não costuma se incluir nos lanches e, porém, é uma excelente opção. É uma boa fonte de proteínas, um ingrediente muito nutritivo, que oferece a energia necessária e tem poucas calorias.

Leia algumas dicas para administrar alguns lanches saudáveis:

– Oleaginosas (amêndoas, avelãs, castanhas e nozes) são ótimas fontes de proteínas, fibras, vitaminas e minerais, aliadas para a saúde do coração, pois são fontes de gorduras boas que auxiliam na diminuição das taxas do colesterol. Encontramos opções tanto em barras de nuts quanto em mixed.

– Cookies e rosquinhas com farinha integral ou sem glúten são boas opções de lanches, fontes de fibras e hidratos de carbonos.

– Torradas ou snacks do tipo integral são ricos em fibras, causando mais saciedade, além de auxiliar na função intestinal.

– Frutas não podem faltar no nosso dia. Além do consumo de frutas in natura, existem opções liofilizadas e desidratadas que podem facilitar alguns lanches fora de casa. As frutas são fontes de fibras, vitaminas e minerais.

.

A má alimentação pode significar mais do que um estilo de vida. Ao longo do prazo, pode acarretar desequilíbrios, sem que os efeitos sejam percebidos. Um dos desequilíbrios observados são as alterações dos níveis sanguíneos de colesterol e triglicérides, associados às doenças cardiovasculares; aumento dos níveis de glicose, associados à resistência insulínica e diabetes; alterações nos níveis de pressão arterial, em virtude do alto consumo de sódio e do próprio excesso de peso; acúmulo de gordura, resultando em sobrepeso e até obesidade, fatores de risco para doenças crônicas como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *